sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Tempo de mudanças ou tempo de cobranças?

Um ano está indo embora para dar lugar ao próximo e muita gente já tem seus desejos, seus planos, seus sonhos... tudo para resolver até Janeiro.
E se você não conseguir tudo isso até lá?
O que você conseguiu nos anos anteriores?
Será que você fez tudo aquilo que prometeu começar a fazer ou parou com tudo o que prometeu não fazer mais? Por exemplo, começar a fazer exercícios, parar de fumar...
Essas são duras questões a se pensar.

É por essas e outras coisas que eu tenho algum tipo de problema com "Réveillons". 

Não sei o que é, talvez seja o medo do novo.
Mas eu sempre tenho receios.
Alguns anos atrás eu até costumava passar mal algumas semanas antes! (risos)
Por isso, parei de cobrar de mim mesma. De cobrar que eu seja mais do que posso ser, de tentar solucionar os problemas que não estão ao meu alcance, de traças muitas metas, entre outras coisas.

De repente o melhor é deixar o ano novo chegar, sem ficar acumulando compromissos para virarem o ano junto com você e te tornarem escravo(a) da agenda.


E quando a mudança chegar, abra os braços para ela.

Se algo te incomodar, um hábito, uma palavra, uma tradição... não tenha medo de mudar.
A vida é assim, cheia de boas-vindas e despedidas.
E é você quem vai decidir se abre ou fecha as portas.


"But it's just the price I pay, destiny is calling me...!"

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Dawn to Dusk, Twilight to Starlight

Ainda haverá um dia em minha vida em que acordarei cedo só para ver o Sol nascer. Tomarei um café, escreverei minhas estórias e histórias, minhas músicas e poesias, e depois voltarei a dormir, pois neste dia, vou largar tudo.
Pegarei meu violão, caminharei, verei o Sol se pôr, enquanto canto as melodias da liberdade.
Voltarei para casa, ninguém para me incomodar com responsabilidades. Delas cuidarei sozinha.
Escreverei cartas pros amigos distantes. Ligarei para os próximos.
Colecionarei fotos e cartões.
E então, dormirei sob o Luar.
Esse será o dia mais feliz em minha vida, quando nada poderá dar errado. E se der, estarei rindo da bobagem que é a vida.