terça-feira, 6 de setembro de 2011

So look what you did to me


Hoje eu só quero deixar meus agradecimentos a todos os que me feriram, me decepcionaram; pois foram os que mais me fizeram crescer, me ensinando a sempre desconfiar de tudo, pensar sete vezes antes de acreditar em palavras.
Esses foram os que mais me fizeram entender como são as pessoas mundo afora, e agora sei como evitar cometer os mesmos erros do passado, porque o passado foi um grande erro, um erro eterno, que faz parte do que eu sou hoje, afinal, o passado monta nosso caráter, porque aqueles tempos foram um dia, o presente, quando estávamos tentando construir algo de bom para nossa experiência, e enfim, acabamos conseguindo, mesmo que os planos tenham sido incertos.
De hoje em diante, vou seguir de cabeça erguida, encarando o mundo de frente, sempre.


"Eu não acho que a sua capacidade de luta tenha a ver com o quão grande você é. Tem a ver com quanta raiva está em você."
by: Amy Winehouse

domingo, 4 de setembro de 2011

I've always been true

Eu acho que não falo só por mim mesma que a culpa é um dos piores sentimentos existentes.
Pior que se sentir culpado, é quando isso acontece quando você não teve culpa do acontecimento, ou ainda, o erro foi do tempo, das circunstâncias, etc.
É por isso que quando eu "cometo alguma falta", me corrijo antes que esse sentimento me cause angústia.
Mas e naquele momento em que uma pessoa parece fazer questão de destacar seus piores erros, esquecendo todas as outras coisas? O que devemos fazer? Nos desculparmos superficialmente? (isto é, pedir perdão só por pedir)
De repente o seu pedido de perdão pode valer pra outra pessoa, mas e nós? Somos obrigados a conviver com aquela velha questão: "O que foi que eu fiz de errado!?!"
Em alguns casos, temos mesmo que nos desculpar por aquilo que nosso orgulho ocultou. Mas certas outras, somos mesmo vítimas de julgamento injusto.
O segredo é saber diferenciar. Difícil é tentar não perder a cabeça.


"So sorry you're not here, I've been sane too long, my vision's so unclear.
Now take a trip with me but don't be surprised when things aren't what they seem."

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

And all I see: Obscured...

Hoje eu decidi falar um pouco (de repente posso acabar falando muito) sobre um tema que todo mundo já está cansado de ouvir: A importância da fé. Algumas pessoas preferem falar de "positividade", "otimismo", etc; mas no fim das contas, dá tudo no mesmo.

Sabe quando você acorda alegre, motivado, e de repente começa a dar tudo errado?
Já reparou que justo quando fazemos vários planos e decidimos não deixar nada nos colocar pra baixo, surgem diversos imprevistos, pequenos problemas que acabam fazendo a maioria de nós perder a força de vontade e desistir logo de cara?
Pode parecer clichê, mas às vezes o verdadeiro problema está dentro de nós, quando não temos aquela confiança, não temos em que nos apoiar.

Segundo Robin Williams, no livro "Patch Adams - O amor é contagioso", todos devemos ter nossa fé:
"A fé pode ter um profundo impacto na saúde. E não estou falando apenas de fé religiosa, mas dessa experiência muito pessoal de entrega, capaz de trazer conforto em todas as situações. A fé exige apenas que se aceite completamente as possibilidades. Para receber seus benefícios, não é necessário fazer nada além disso (acreditar). A fé é gratuita e está disponível para todas as pessoas, o tempo todo. Os benefícios a serem colhidos são os mesmos, seja a fé baseada em uma religião, na pesca ou na música. O importante é a profundidade da aceitação."
  No parágrafo, ele diz que fé é uma coisa que te faz sentir uma "mágica especial", uma coisa que mudou sua vida pra melhor.

A fé, preenche o vazio da alma, nos faz sentir "vivendo plenamente".
Precisamos também acreditar que nossas palavras e pensamentos têm poder, e emitem uma grande energia.
É nisso que uma oração se baseia, na fé de que iremos receber aquilo que desejamos.

Nos livros "Mude sua vida com o poder da mente" e "Felicidade em poucas palavras", você pode encontrar formas de usar o otimismo e a positividade a favor da sua felicidade.

Ter algo que nos inspira, que nos dá fé, é como ter um amigo nos dando motivos pra seguir em frente, força pra enfrentar as desavenças, sempre acreditando que vamos alcançar um futuro próspero quando a onda passar.

É preciso enxergar além da névoa obscura que priva nossa visão das bênçãos que recebemos diariamente.