quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Rain - So cold

Dias chuvosos. Tem coisa melhor do que ficar em casa, se enrolar nas cobertas com um café ou chocolate quentinho, ouvindo as músicas favoritas (ou melhor ainda, assistindo aos clipes favoritos) quando está friozinho e chovendo lá fora? TENTE pensar em algo mais confortável que isso.

Bom, cada um tem seus "hábitos de inverno", coisas que costuma fazer nesses dias tão frios. Mas sei que ninguém gosta muito de sair na chuva.

Se bem que é muito interessante dar um passeio, uma caminhada pela rua quando a chuva acaba. Ver as plantas molhadas, as ruas calmas e serenas... a paz do silêncio. Fora o cheirinho que se espalha no ar!

A pesar de ser péssimo pra levantar da cama, o tempo frio e a chuva são ótimos pra liberarmos o alto astral que escondemos dentro de nós! A maioria das pessoas segue as leis de que "dia frio e chuvoso é só pra dormir!".

Que nada! É legal colocarmos uma música alta, cantar e dançar...
Melhor ainda é percebermos o quanto é encantador um dia chuvoso, sentirmos a alegria que se esconde por trás das nuvens, a emoção oculta no vento, a música no chão quando a chuva começa a cair... fora toda essa inspiração que infelizmente a gente deixa abafar em nosso interior.

Devemos admirar mais as coisas simples do mundo, pois essas são as mais belas.


"To lie here under you is all that I could ever do.
To lie here under you is all..."

domingo, 28 de agosto de 2011

I fear that I'm ordinary, just like everyone!

Sabe aquela sensação de ser um peixe fora d'água? De que somos diferentes? Não nos identificamos com as pessoas ao nosso redor?
Às vezes ela faz com que eu me pergunte o porquê de não gostar de tudo aquilo que TODO MUNDO curte. Ou até me faz sentir esquisita, como se houvesse algo de errado comigo. Mas esse é meu lado complexado falando. O meu lado vaidoso pensa diferente:

Ele me faz chegar à conclusão de que não tem nenhum problema comigo, o problema está exatamente naqueles que se rendem à insegurança de ser julgado "diferente" e aderem ao que costumo chamar de "modinhas", aumentando o número de pessoas que seguem os padrões.

Acho que os que nos julgam "estranhos" na verdade têm a atenção roubada pelos que, na verdade, foram desinibidos e mostraram seu verdadeiro ser, diferente deles.
Então eu reconheço que amo ter meu estilo próprio de vida.

Ter hábitos diferentes daqueles que os outros acham comum, ou seja, ter hábitos "esquisitos" (que eu prefiro dizer que são únicos); ser fã de artistas "underground"; usar sites que ninguém próximo usa; ter uma aparência, look ou visual (incluindo modo de se vestir, de arrumar ou não o cabelo, etc) criado por você mesmo; falar ou não gírias próprias; entre outras coisas, criam uma personalidade exclusiva.
Não devemos ter medo de ousar. Quando o assunto é personalidade, devemos seguir nossos impulsos e deixar o "eu" trasparecer, sem vergonha, é claro, pois ela estraga tudo.
Seja você mesmo(a), sem repressões! É como diz a música da Pitty, Máscara: "O importante é ser você, mesmo que seja estranho. Seja você mesmo que seja bizarro..." ♪

Como eu me acostumei a ser assim, já espero nunca mudar, e nunca seguir as influências de fora. Vou continuar sempre com meu estilo de vida, loucamente livre dentro do meu próprio mundo! Até porque minha personalidade já está construída, e é com ela que eu vou seguir aprendendo a viver.

"i know that i am meant for this world...!"