quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

In the Arms of Sleep

Há noites em que não conseguimos pregar os olhos, não é mesmo?

Dúvidas, e outros pensamentos angustiantes, preferem vir me atormentar durante a noite.

E há dias após noites desse tipo, em que não conseguimos nos concentrar, não conseguimos ficar acordados, né?

Durante o dia, eu me culpo por não ter descansado, por ter deixado esse sentimento de angústia me atormentar o sono.

Mas o que deveria ser feito? Num dia em que acordo cedo, ou não durmo bem, eu deveria tirar um desses momentos do meu dia, um desses em que o desânimo leva minha mente pra lugares errados, em vez de me levar de volta à Lua (meu local de origem) me levando a trágicos devaneios, e apenas deitar em minha cama. Me entregar à sonhos, mesmo que eles se tornem pesadelos.

Um homem sábio disse uma vez:

"Quando sua vida for tão, tão sombria, apenas sonhe."
"Nada, nada mesmo, nada pode ficar pior do que está."

Por mais que o sono pareça não vir, seu corpo estará descansando até que sua mente faça o mesmo, pois quando você se entrega nos braços do sono, sua mente produz grande quantidade de pensamentos, até esgotar.

Mellon Collie and the Infinite Sadness

Tem dias em que acordamos e achamos que não deveríamos ter levantado da cama.
Pelo menos algumas pessoas tem dias assim.
Mas será que alguém já teve um dia em que sentiu vontade de dormir eternamente? Acordou complatamente exausto, sem ânimo, com sono?
Poucas pessoas tem dias assim, e, quando tem, dura pouco essa sensação. Há pessoas que sentem isso intensamente, e tão intensamente que acaba prolongando essa sensação com várias questões que não conseguem resolver, e que por fim, dão uma baita dor de cabeça.
O que fazer? Pode não curar uma depressão, mas alivia, e ajuda a amenizar algumas dores, a terapia musical.
Apenas precisamos escolher uma boa música, aquela que nos faz sentir bem em qualquer momento, colocá-la pra tocar bem alto, e cantar. Não só cantar, mas se expressar através dela.